Terça-feira, 27 de Junho de 2006

ESTÁS TRANSFORMADA EM CRISTO

O texto que se segue é o capítulo X de Solo per Amore, o novo livro da Prof.ª Eugénia Signorile, cuja publicação continuamos a aguardar e que é uma espécie de versão reduzida da Figlia del Dolore Madre di Amore. É no capítulo X que vemos Jesus a elevar a nossa Beata aos cumes mais altos; são frases como as que abaixo se citam que nos dão a medida da sua grandeza verdadeiramente excepcional.

O título adoptado não corresponde ao de origem.

Todas as citações, à excepção de duas, foram conferidas pelo original português.

 

A Alexandrina, em jejum total, nutre-se agora só de Jesus: vive de Jesus Eucarístico e do seu divino Sangue. Mas mesmo espiritualmente está agora “fundida” com o seu Esposo, com o seu Tudo.

Jesus diz-lhe:

 

Minha filha, amor, amor, amor! O teu coração e o meu é um só: estás toda transformada em Mim. Eu sou a tua vida: não tens a vida humana, tens a vida divina. Não tens vida da Terra, vives a vida do Céu.

A tua vida terá sempre espinhos, um espinho penetrará outro espinho e, assim crucificada à minha semelhança, passarás ao Céu, cravada na cruz por amor de Mim.

 

A tua vida é vida de Cristo: vive Cristo transformado em ti.

Sobes o Calvário, porque não posso subi-lo Eu agora. Levas a cruz, porque não posso levá-la Eu também.

És um cordeirinho sacrificado e imolado. Dás a vida na maior das agonias, porque agora não posso Eu sofrer assim.

 

Jesus, enquanto lhe dá a gota do seu divino Sangue, diz-lhe:

 

Recebe-a, que bem dela necessita o teu corpo e a tua alma: é a tua vida, é a vida de Cristo Redentor.

E assim fica transformada a vida da crucificada na vida de Cristo Redentor, de Cristo crucificado.

 

A Alexandrina está bem consciente de não ser capaz de cumprir sozinha a grande missão para a salvação das almas.

 

A minha vontade está pronta mas à natureza, à pobre natureza, repugna tanto sofrimento; tenta muitas vezes dizer: não posso, não posso mais!

E é verdade, Jesus, que eu não posso. Mas podeis Vós! Sois Vós que sofreis, sois Vós que caminhais, sois Vós que levais e amais a cruz que me dais.

Eu não posso, eu não vivo, não sofro, não amo – eu não existo.

Mas sim existe o sopro da Vossa vida que por mim passa.

 

A propósito deste “sopro”, chegados a 1955, Jesus dir-lhe-á:

 

Tem coragem! Repete sempre o teu “creio!”. (…)

Este sopro já correu todo o mundo; por ti já (a humanidade) recebeu o sopro da graça, o sopro do amor.

Continuam ditosos os que se aproveitam dele.

 

E, voltando a 1949, Jesus reafirma:

 

É Cristo a viver em ti, a sofrer em ti, a amar em ti.

 

Vives em Cristo e para Cristo. Todo o teu viver é Cristo.

És a alegria e a glória do Altíssimo. Confia, confia, minha filha:

Eu trabalho e opero em ti grandes maravilhas para minha glória e para tudo reverter em favor das almas.

 

A Alexandrina teme sempre enganar-se sobre os seus fenómenos místicos, que não compreende e teme que sejam fruto de sua imaginação. Jesus assegura-lhe:

 

Não estranhes se não compreenderes a tua vida, porque é impossível à criatura humana compreender tal e qual é a vida divina: no Céu a compreenderás. No Céu verás sem dúvida que só de Mim viveste.

 

Minha filha, minha filha, que união a dos nossos corações! Nada há que nos separe.

Sofremos na mesma dor, amamos no mesmo amor: Eu sou um contigo. Vivo em ti a mesma vida que vivo com o Pai e como sou um com Ele.

Vim pelo Pai, em nome do Pai, à Terra a resgatar o mundo.

Tu, em meu nome, em Mim e por Mim, continuas a minha obra salvadora.

 

Contemplemos um êxtase de amor, com a transfusão de sangue:

 

Fiquei com a cabeça pousada no regaço de Jesus. Parecia-me estar no centro de uma fogueira imensa, infinita de amor.

Estas labaredas, este fogo penetrou em todo o meu ser. O meu coração e a minha alma tomaram uma nova vida.

Eu já não era eu: era só Jesus.

Senti-me como se ali adormecesse (...) (segue-se a transfusão).

Que dilatação eu senti (no coração)! O meu pequenino coração ficou grande como o Céu.

Não tive força para aguentar tanta grandeza.

- Jesus, Jesus, não posso! Não resisto à grandiosidade do vosso amor.

- Eu estou aqui, minha filha: comigo nada podes temer. Eu venço, Eu sofro, Eu amo em ti. Estás transformada em Cristo, vives a vida de Cristo, dás às almas a vida de Cristo.

 

Na união total, um é transformado no outro. Jesus, enquanto dá a gota de sangue, reforça mais uma vez a transformação:

 

Oh, maravilha! Oh, maravilha!

É Cristo a viver por ti, é Cristo a falar por ti, é Cristo a amar em ti!

É Cristo transformado em ti!

 

Dois corações num só coração – diz Jesus – incendiados numa só chama, enleados numa só cadeia de amor.

 

O trecho seguinte é um pouco um resumo e evidencia a generosidade do amor da Alexandrina para o seu Jesus, amor tudo oblativo:

 

- O meu divino Coração sofre pelo teu coração; o meu divino Coração ama pelo teu amor. Amo Eu e amas tu; tu amas com o meu amor, tu dás-te pelo meu amor; tu gastas-te, tu consomes-te por amor a Mim e por amor às almas.

Tu sofres e Eu sofro em ti. (...) Sofro em ti sem sofrer. Eu sou em ti a tua força. Tu sofres para não sofrer Eu. Tu amas para Eu ser sempre mais amado.

Toda a dor fica no teu coração, e a consolação e a alegria vêm ao Meu.

- Está bem, Jesus, sem dúvida. Com isto estou contente. Que sofra o meu coração para não sofrer o vosso são os meus desejos. Amar-Vos e consolar-Vos são as minhas aspirações.

 

Jesus exprime de modo admiravelmente incisivo esta forma de união:

 

Eu sou

a luz dos teus olhos,

o movimento dos teus lábios,

o amor e o Senhor do teu coração.

 

Mas recordemos sempre que a missão da nossa Alexandrina é a de vítima imolada, ou seja, a mesma do divino Cordeiro.

Eis quanto sente, já no fim de 1945, enquanto revive a Paixão no Horto, só na intimidade:

 

Eu era Jesus e Jesus era eu:

nós dois éramos

a mesma oferta ao Céu.

 

 

Publicado por Alexandrina de Balasar às 18:59

link da mensagem | Adicionar aos favoritos
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


- Pesquisar neste blog

 

- Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
19
21
22
23
24
26
27
28

- Mensagens recentes

- A ICONOGRAFIA DE CRISTO N...

- TRADUÇÃO PARA CHECO

- MAIS VÍTIMAS DA REPÚBLICA...

- RECENSÃO SOBRE O OPÚSCULO...

- A EDIÇÃO AMERICANA DO OPÚ...

- VÍTIMAS DA REPÚBLICA NA P...

- ICONOGRAFIA DE CRISTO

- OS PAÍSES QUE ESTÃO NO TO...

- O PÁROCO DA ALEXANDRINA N...

- RESPEITO DA ALEXANDRINA P...

- Arquivos

- Fevereiro 2010

- Janeiro 2010

- Dezembro 2009

- Novembro 2009

- Outubro 2009

- Setembro 2009

- Agosto 2009

- Julho 2009

- Junho 2009

- Maio 2009

- Abril 2009

- Março 2009

- Fevereiro 2009

- Janeiro 2009

- Dezembro 2008

- Novembro 2008

- Outubro 2008

- Setembro 2008

- Agosto 2008

- Julho 2008

- Junho 2008

- Maio 2008

- Abril 2008

- Março 2008

- Fevereiro 2008

- Janeiro 2008

- Dezembro 2007

- Novembro 2007

- Outubro 2007

- Setembro 2007

- Agosto 2007

- Julho 2007

- Junho 2007

- Maio 2007

- Abril 2007

- Março 2007

- Fevereiro 2007

- Janeiro 2007

- Dezembro 2006

- Novembro 2006

- Outubro 2006

- Setembro 2006

- Agosto 2006

- Julho 2006

- Junho 2006

- Maio 2006

- Links

- subscrever feeds