Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

A ICONOGRAFIA DE CRISTO NO ARCIPRESTADO DA ALEXANDRINA

Vida pública

A iconografia de Cristo privilegia a sua morte, a instituição da Eucaristia, a sua infância, até o seu baptismo. À parte estes momentos, não é tão abundante. Por isso, é bom podermos assinalar uma meia dúzia de quadros da Vida Pública: a tempestade amansada no Mar da Galileia, na frente da igreja paroquial das Caxinas (em relevo), um momento do episódio da Samaritana, numa fonte pública a nascente da Praça do Almada, na Póvoa de Varzim, Jesus a abençoar as crianças, na capa dos números iniciais da Cruzada, saídos na Póvoa de Varzim, um painel do Bom Pastor, na frente da igreja da Estela (havia também um painel do Bom Pastor no retábulo do altar-mor da igreja de Balasar) e um painel da Transfiguração no retábulo da igreja de Touguinhó.
Publicado por Alexandrina de Balasar às 08:47

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 20 de Fevereiro de 2010

TRADUÇÃO PARA CHECO

O livro de Francis Johnston Alexandrina the Agony & the Glory foi traduzido para checo por Bob Dvorak; brevemente será colocado em linha. O opúsculo do Kevin vai ser também traduzido para a mesma língua.

Publicado por Alexandrina de Balasar às 10:20

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010

MAIS VÍTIMAS DA REPÚBLICA NA PÓVOA DE VARZIM

O estudo das vítimas da República na Póvoa de Varzim – que é também o estudo do contexto concreto em que a pequena Alexandrina lá viveu – está-se a revelar muito mais interessante do que esperávamos. Ontem, quase por acaso, descobrimos o que se passou com as Irmãs de Caridade que trabalhavam no hospital. Além de comer e dormir, ganhavam por ano um hábito novo. Mas nem isso lhes valeu. Já colocámos na página respectiva um breve artigo sobre a sua expulsão.

Também conhecemos agora melhor como se processou o regresso paulatino das Ordens Religiosas a Portugal após a sua extinção em 1834: começou logo em meados do século XIX, com a Regeneração, e por sinal teve um episódio lamentavelmente célebre chamado a Questão das Irmãs de Caridade. Vem tratado na Enciclopédia Verbo em “Irmãs de Caridade”.
Sabemos ainda de duas perseguições carbonárias na Póvoa, uma contra o reitor do Liceu, que se chamava Alberto Nunes Rica, e era sacerdote, outra contra outro sacerdote local.
Publicado por Alexandrina de Balasar às 08:35

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2010

RECENSÃO SOBRE O OPÚSCULO DE KEVIN ROWLES

Esta recensão que fizemos à edição americana do opúsculo do Kevin Rowles será em breve colocada em linha no Sítio Oficial em português e inglês:

O opúsculo de Kevin Rowles, A Living Miracle of the Eucharist, está a ter um comportamento singular. Depois de começar como edição de autor, foi já publicado na Austrália e saiu agora nos Estados Unidos pelas New Hope Publications. Cremos que a edição australiana se limita a repetir a inglesa; já a americana tem a originalidade de ser largamente ilustrada: cerca de 40 imagens muito seleccionadas. Além disso, o formato do opúsculo deixou de ser o de bolso para ser bastante maior.
Foi muito bom não ter sido esquecida a tão generosa promessa de Jesus a quem visitar o túmulo da biografada:
“Prometo-te – confia – que depois da tua morte todas as almas que visitarem o teu túmulo serão salvas, a não ser que o visitem para prevalecer no pecado, abusando da grande graça que por ti lhes dei”.
E há ainda aquela poética oração que começa I see my Homeland in distance.
O livrinho é uma biografia de muito agradável leitura, que não se fica só pelos aspectos episódicos e exteriores da vida da biografada, mas procura antes captar a vida interior desta grande alma mística e salientar os ensinamentos que a tornam particularmente actual.
Na contracapa, recorda-se que a Alexandrina foi proposta pela Igreja como “um modelo de pureza e de perseverança na fé para a juventude de hoje”. É importante esta menção da juventude, hoje muito arredada da Igreja e por quem a Alexandrina, como cooperadora salesiana, tanto rezava.
O autor dedica a obra ao fundador da Alexandrina Society, Francis Reynolds, à sua esposa, Sheila Reynolds, à dinâmica Josie McEvoy e por fim a todos os membros dessa associação. Trata-se assim duma publicação que impulsionará significativamente a divulgação da Alexandrina no mundo de língua inglesa, num passo desejável para realizar o desejo de Jesus de que a vida desta Beata chegue até aos confins do mundo.
À bibliografia em língua inglesa e francesa para que remete, acrescentam-se algumas fontes da internet, nomeadamente o Sítio Oficial. Um livro inevitável nesta bibliografia é o de Francis Johnston Alexandrina, the Agony and the Glory.
Publicado por Alexandrina de Balasar às 12:03

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2010

A EDIÇÃO AMERICANA DO OPÚSCULO DO KEVIN ROWLES SOBRE A BEATA ALEXANDRINA

Chegaram finalmente os exemplares da edição americana do opúsculo do Kevin Rowles. Esperamos em breve escrever alguma coisa sobre ele de modo a apresentá-lo aos visitantes do Sítio Oficial.

A companhia inglesa Mary's Dowry Productions considera a hipótese de fazer um DVD sobre a Beata Alexandrina.
Publicado por Alexandrina de Balasar às 14:30

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

VÍTIMAS DA REPÚBLICA NA PÓVOA DE VARZIM

Dissemos há dias que se justificava um estudo sobre os anos iniciais da República na Póvoa de Varzim para entender melhor o contexto em que a pequena Alexandrina lá viveu. Naturalmente não tivemos ainda oportunidade para levar a cabo tão trabalhosa tarefa. Apesar disso, optámos por abrir uma página onde colocámos o que sabemos sobre esse tema. A palestra que se encontra no seu final é da autoria dum médico que também tratou a Alexandrina.

Publicado por Alexandrina de Balasar às 21:19

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010

ICONOGRAFIA DE CRISTO

Temos vindo a fazer uma breve recolha de imagens relativas à iconografia de Cristo no arciprestado da Beata Alexandrina (para lá, bem entendido, das comuns cruzes). Vamos dar aqui conta do que já apurámos.

A Paróquia de Vila do Conde é certamente aquela onde se encontra uma iconografia mais variada e notável. Basta pensar em Santa Clara e em particular nas edículas dos túmulos renascentistas dos fundadores e ainda na Matriz, com os seus vitrais e com os seus monumentais retábulos. Mas há mais. Por exemplo, os grandes nichos da Via-Sacra.

Na Póvoa também há igrejas onde esta iconografia tem um relevo particular, nomeadamente a Matriz, a Basílica do Sagrado Coração de Jesus e a Igreja da Misericórdia.

À parte estes casos, há depois verdadeiros achados. Exemplos: uma fonte poveira, a nascente da Praça do Almada, onde há um grande painel de azulejo que retrata o episódio da Samaritana, um outro painel de azulejo, na fachada da Igreja Paroquial da Estela, com o tema do Bom Pastor, um Agnus Dei, a nosso ver excelente, no tímpano da porta principal da Igreja Românica de Rates (há um outro, pequenino, mas muito bonito, na fachada da Igreja da Misericórdia poveira), um original conjunto escultórico da aparição do Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida Alacoque na Igreja de Bagunte, uma óptima imagem do Ressuscitado na Igreja do Outeiro Maior, um grande painel da Transfiguração na Igreja de Touguinhó, vários painéis da Anunciação, do Baptismo e da Última Ceia, etc., etc. Autênticas maravilhas!

Publicado por Alexandrina de Balasar às 20:22

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010

OS PAÍSES QUE ESTÃO NO TOPO DAS ESTATÍSTICAS

Esta página destina-se antes de mais a notícias. Mas às vezes elas escasseiam e só isso é que justifica que ela se desvie da sua função.

Veja-se então a lista dos países que, de acordo com a última informação estatística, ocupam os primeiros lugares nas visitas ao Sítio Oficial: Brasil, Portugal, Estados Unidos, França, Alemanha, Rússia, Canadá, Itália e Polónia. A surpresa é o lugar ocupado pela Rússia, pois o resto é o esperado.

Publicado por Alexandrina de Balasar às 19:24

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010

O PÁROCO DA ALEXANDRINA NO EXÍLIO

Os jornais poveiros do período em que a pequena Alexandrina esteve na Póvoa permitiam escrever um longo e instrutivo folhetim. Aliás, é um estudo que precisa de ser feito e que um dia tentaremos.

Verdade seja dita que havia republicanos e republicanos: é indispensável matizar. Muita gente que ficou contentíssima com a instalação do novo regime viu depois que ele, na prática, era um embuste.
O prior da Póvoa – então o pároco da Alexandrina – que era um esclarecido lutador, partiu para o exílio em Vila do Conde em finais de Março de 1911.
Veja-se o que então se escreveu:
 
“Surpreendeu-nos dolorosamente a notícia do castigo com que o ministro da justiça distinguiu o ilustrado director d’O Poveiro e zeloso pároco desta vila, Rev. Manuel Martins Gonçalves da Silva. Dizemos distinguiu, porque hoje é na realidade uma alta distinção para os Reverendos Párocos serem igualados, na perseguição, aos Ex.mos Prelados.
Porque foi o primeiro pároco do país desterrado do seu concelho e não só da sua freguesia: não pequena honra cabe também a esta vila e a este jornal por contar o seu pároco e o seu director entre as vítimas da intangível lei da separação.
Porque foi só ela – para nós não resta a menor dúvida – a única lei ofendida (?) nas práticas que o nosso Rev. Pároco fez às missas conventuais contra a maçonaria e denominadamente contra o triângulo maçónico desta vila.
A intangível é filha predilecta da maçonaria; quem esta melindra a filha melindra e vice-versa.
O nosso Rev. Pároco não atacou a intangível, mas atacou a maçonaria, o que vem a dar na mesma.
Inde irae”.
O Poveiro, 28/3/1912.
Publicado por Alexandrina de Balasar às 13:53

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Domingo, 31 de Janeiro de 2010

RESPEITO DA ALEXANDRINA PELOS SACERDOTES

A Alexandrina foi para a Póvoa de Varzim frequentar a escola em Janeiro de 1911 e deve ter regressado em fins de Junho de 1912. Estava então ao rubro a fúria carbonária contra a Igreja. Mas esta pequena sabia qual era o seu lado da barricada:
 
Lembro-me que tinha muito respeito pelos sacerdotes e, quando estava sentada à porta da rua, só ou com minha irmã e primos, levantava-me sempre à sua passagem e eles correspondiam, tirando o chapéu, se era de longe, ou dando-me a bênção, se passavam junto de mim.
Observei, algumas vezes, que várias pessoas reparavam nisto, e eu gostava e até chegava a sentar-me propositadamente para ter ocasião de me levantar, no momento em que passavam por mim, só para ter o gosto de mostrar a minha dedicação e respeito pelos ministros do Senhor.
 
Sobre as violências praticadas contra a Igreja, abra aqui e procure em Temas.
Publicado por Alexandrina de Balasar às 23:01

link da mensagem | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

- Pesquisar neste blog

 

- Fevereiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
19
21
22
23
24
26
27
28

- Mensagens recentes

- A ICONOGRAFIA DE CRISTO N...

- TRADUÇÃO PARA CHECO

- MAIS VÍTIMAS DA REPÚBLICA...

- RECENSÃO SOBRE O OPÚSCULO...

- A EDIÇÃO AMERICANA DO OPÚ...

- VÍTIMAS DA REPÚBLICA NA P...

- ICONOGRAFIA DE CRISTO

- OS PAÍSES QUE ESTÃO NO TO...

- O PÁROCO DA ALEXANDRINA N...

- RESPEITO DA ALEXANDRINA P...

- Arquivos

- Fevereiro 2010

- Janeiro 2010

- Dezembro 2009

- Novembro 2009

- Outubro 2009

- Setembro 2009

- Agosto 2009

- Julho 2009

- Junho 2009

- Maio 2009

- Abril 2009

- Março 2009

- Fevereiro 2009

- Janeiro 2009

- Dezembro 2008

- Novembro 2008

- Outubro 2008

- Setembro 2008

- Agosto 2008

- Julho 2008

- Junho 2008

- Maio 2008

- Abril 2008

- Março 2008

- Fevereiro 2008

- Janeiro 2008

- Dezembro 2007

- Novembro 2007

- Outubro 2007

- Setembro 2007

- Agosto 2007

- Julho 2007

- Junho 2007

- Maio 2007

- Abril 2007

- Março 2007

- Fevereiro 2007

- Janeiro 2007

- Dezembro 2006

- Novembro 2006

- Outubro 2006

- Setembro 2006

- Agosto 2006

- Julho 2006

- Junho 2006

- Maio 2006

- Links

- subscrever feeds